Antichrist

Half of Antichrist is about a couple that loses their child. The other half, well, you’ll have to figure it out by yourself when you see it.

In my humble opinion, this movie is more an exercise of narcissism than something else (and note that by saying this I’m not saying it’s not also a work of art).
Lars Von Trier
filled this movie with hidden meanings, philosophical and theological content, stuff that can only be understood using a vast knowledge of History and even numerology…all for it to be studied by the intellectual masses, to be analyzed and perceived as something really brilliant and out of the monochromatic blur that is modern day cinema…ultimately I think he did this film to be acknowledged as a genius and a visionary. I say no, he is not.

For me it doesn’t work. I’m not a film critic or an intellectual wannabe, I just go with my own understanding of things, so I can’t really go with the flow and say this is a work of a genius, mainly cause I consider geniuses to do stuff that can be absorbed and have meaning for everyone, even the most untrained mind. Kubrick, Hitchcock, they all did brilliant movies that broke a lot of standards, with brand new and shocking concepts and imagery,  and still were accessible to everyone.
When I go read stuff after I watch a film, I do it because it sparked my interest, because it made me want to know more ‘bout the concepts and contents explored and shown in it, not only and solely cause I feel the need to understand the film itself. And I’m not a “lazy viewer”; I don’t like directors explaining everything on screen, I like puzzles, hidden stuff, to exercise the mind…but after seeing Antichrist I just felt numb.

The only feeling this movie conveyed to me was disturbance. Technically it’s flawless, the photography and the sound really make a difference, but nothing more. The violent scenes seem to be there just to shock the audience, the actors do an amazing job but don’t transport their feelings to the audience…in many scenes I was just thinking “what a freak show”, and that’s never good.

Maybe my sensibility for these kind of works is not well explored, maybe I need to revise some other masters in this dark areas of cinema, but overall, this film just comes off too pretentious and shallow in terms of actual concepts and meanings.
I didn’t like the movie, not cause it left me with a bad feeling (Irréversible did that but I enjoyed it), but mainly cause it tries too hard to be something out of the ordinary and ends up lacking a well developed story with solid characters. Still I recommend it to everyone wanting something different and beautifully made in terms of cinematic technique.

IMDB LINK

TRAILER

Advertisements

5 Responses to “Antichrist”


  1. 1 A Constant Refrain 14 January, 2010 at 6:34 pm

    concordo quase com tudo, mas se nao fosse aquelas partes po fim quase que era ganda filme até.
    (L)

  2. 2 jmnpm 14 January, 2010 at 9:48 pm

    O Lars von Trier admitiu que este filme foi a forma que teve de ele lidar com a sua própria depressão, por isso não deixa de ser narcisista, como dizes. Mas consegui acompanhar o filme até ao fim…a primeira parte é sobre o desespero da perda, a segunda é sobre como essa a loucura (e escolhas muito erradas…quem é que se lembraria de ir para o Éden curar uma depressão?) nos pode levar à loucura e a atacar aqueles que amamos (tanto o filho, aparentemente, como o marido)

    Mas concordo com a menina aqui de cima, o filme perde-se para o fim…na minha opinião estava a caminho de ser uma obra prima, mas ficou apenas no patamar do bastante bom.

  3. 3 Limpa Vias 15 January, 2010 at 6:04 pm

    Boa review! Vou dar-lhe uma oportunidade ainda este mês!

  4. 4 hermano 24 January, 2010 at 11:47 am

    freakshow, memo a serio

  5. 5 Gonçalo Dias 27 January, 2010 at 5:51 pm

    Epah discordo de muita coisa que aqui dizes.
    Primeiro, adorei o filme. A estória é simples mas tem muito mais do que aparenta. Se o Lars a conta em termos pouco óbvios e filosóficos, é claro. Se é narcisista pelo modo como o faz, provavelmente (o ego do senhor é qualquer coisa). Se se arma em intelectualóide e é pretencioso, já é discutível. Neste caso, acho que é bastante mais narcisista do que pretencioso (às vezes podem-se confundir), o que não tem que ser algo negativo. Muitas vezes é mais ao contrário. Se é génio ou não também é contestável, mas, quanto a mim, não é preciso que chegue às massas, ou à “most untrained mind” para o ser. É sim, dos mais brilhantes realizadores dos quais tive a oportunidade de ver um filme.

    Mas uma coisa que ele não é, é um realizador convencional, e este filme está dentro desse padrão. Só existem dois personagens ao longo de 1h40m, onde o masculino é retratado como senhor da razão, prepotente e com uma necessidade de controlo e de manipulação, e o feminino, well, todo ele é emoção, instinto e alienação mental, embora seja o personagem que tem mais que se lhe diga.
    A atmosfera é escura, suja, sombria. Visualmente, não me lembro de ter visto uma coisa tão “eye candy” e ao mesmo tempo crua e negra. Em termos sonoros, está “flawless” e encaixa perfeitamente no ambiente do filme.
    Não achei a violência gráfica e o explícito de algumas cenas despropositado. Todo o contexto e ambiência áspera e cruel assim o pedia. Choca, mas não me parece que tenha sido apenas com esse propósito.

    Este é daqueles filmes que é love it or hate it. Eu achei-o profundamente desagradável, como tu o disseste, mas de uma maneira positiva. Fiquei a pensar nele durante algum tempo depois de o ver e com vontade de o rever para descobrir se alguma coisa me tinha escapado. Vale a pena ver nem que seja pela “não convencionalidade” do mesmo.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s





%d bloggers like this: